Veja algumas ações sociais que a Ativa promove:

Ajuda financeira a Equipes de Futebol de Salão da Região
Alguns membros da equipe de futebol de salão do União 29G
Ajuda financeira e patrocínio constantes a Equipes de Futebol de Campos
Equipe adulta de futebol da Conexão 29G

Única equipe da zona leste de São Paulo a chegar na final dos JOGOS DA CIDADE disputado no Estádio do Pacaembu! Hoje evento divulgado e televisionado pela Rede Bandeirantes de Televisão.

Equipe sub-12 Conexão 29G / 1º Campeonato e já campeões da Copa Tiradentes
Conexão 29G categoria sub-12 e os técnicos Alexandre e Denilson a direita na foto

Os técnicos do Conexão 29G categoria sub-12, Alexandre e Denilson, também moradores do bairro, se desdobraram para incentivar as crianças, que mesmo sem terem campo, bola e o necessário para os treinos conseguiram fazer um campeonato digno de uma final. Pois passaram como disciplina que para serem bons esportistas os garotos tinham que obedecer os pais e professores, terem boas notas, respeitarem os moradores do bairro, seus adversários, terem muita garra e perseverança, e este lema, acreditamos que sejam lições que os tornaram muito mais que os CAMPEÕES, mas também VENCEDORES

Muitos jovens da região conseguiram seu primeiro emprego registrado
1º Emprego e Qualificação Profissional

A Ativa começou numa região nobre da Zona Norte de São Paulo, no Jardim São Paulo, mas revendo que todo seu trabalho operacional, se valia mais por tecnologias como Internet, celular, telefonia,mudou-se para um bairro carente da Zona Leste de São Paulo, Cidade Tiradentes, bairro distante, e com grande densidade demográfica. Mas a empresa não se valeu desta vantagem em conseguir rápido mão de obra com salários baixos, e não só buscou dar a oportunidade 1º do emprego registrado ,e com benefícios de grandes empresas , como também procurou treiná-los e qualificá-los.

Incentivo a Qualificação Profissional e ao Ensino Superior

Visando a melhoria e qualidade das informações, o sistema Ativa patrocina a metade de qualquer curso superior que seus funcionários escolherem. Lembrando que muitos são jovens da região carente da Cidade Tiradentes.

Igreja do Evangelho Pleno Cidade Tiradentes
Assistência a Instituições Religiosas do bairro

Ativa contribui todos os meses, com doações de CESTAS BÁSICAS, para Igrejas que fazem um trabalho social sério e íntegro na região.

CAEEL: Assistência a Educação, Esporte e Lazer

ONG Conexão 29 em Assistência a Educação, Esporte e Lazer, focam a inclusão social, integração entre a comunidade. Em busca da assistência da gratuidade com futuras parcerias e voluntários em acesso que está na constituição o direito da educação, saúde, esporte e lazer. A CAEEL que tem como alvo principalmente colaborar com órgãos públicos existindo uma coligação para o bem estar e a contribuição de projetos e oficinas internas e externas para uma visão de construtivismo em nova forma de aprendizagem.

A CAEEL visa também de profissionais em formação superior no sistema de oficineiro, disponibilizando para que crie-se grupos, em função de trabalhos como oficinas, recreação, artes, esporte e lazer.

RESPONSABILIDADE AMBIENTAL

No tocante a nossa responsabilidade, a Ativa se empenha em promover entre nossos colaboradores e outros muitos cursos, debates, seminários, voltado a realidade mundial, na qual envolve o futuro do planeta. Buscamos reciclar alguns tipos de materiais orgânicos ou não, fazendo deste uma rotina no ambiente de trabalho e fora dele, alem disto a Ativa procura se relacionar preferencialmente com empresas ecologicamente corretas, voltadas para a mesma meta, cultivando o ideal do reaproveitamento responsável e sustentável, de todo e qualquer produto durante a execução e/ou prestação dos trabalhos requisitados por empresas filiadas ao sistema, demonstrando mais uma vez seu comprometimento com a responsabilidade ambiental.

RESPONSABILIDADE SOCIAL ATIVA

Tendências em diversas áreas confirmam a crescente relevância da responsabilidade social no âmbito empresarial na sociedade global.

Com a Ativa não poderia ser diferente pois há a preocupação com o ambiente e com a relação Empresa funcionários e comunidade, incentivamos a utilização de materiais de procedência reciclável mostrando nosso respeito com o meio ambiente e tanto na empresa como nas casas de nossos funcionários, estamos também engajados na participação com a sociedade civil e pública, formalizando junto á organizações comunitárias incentivos a cultura e esporte, ou seja, uma gestão definida pela relação ética e transparente com nossos funcionários, comunidade e o meio ambiente envolvendo públicos com os quais a empresa se relaciona, com metas atingíveis com o desenvolvimento sustentável da comunidade, o respeito ao meio ambiente e cultura das gerações futuras, respeito à diversidade e redução das desigualdades sociais. Buscamos também a satisfação das necessidades básicas e aspirações do bem-estar de funcionários e da população de uma forma geral sem comprometer as necessidades e aspirações das gerações futuras.


O trabalho do Lar de Maria com crianças e adolescentes iniciou em 11/03/1963, com a entrega de sopa para indigentes. E dois anos depois, em um regime de semi-internato para atender 125 vagas para crianças entre 0 e 14 anos cujas famílias não conseguiam atender aos mínimos sociais, a entidade inicia um trabalho de semi-internato.

Nesta perspectiva, o grupo de colaboradores começou a perceber que surgiam outras necessidades consideradas básicas para o atendimento destas pessoas. Percebeu-se que entre os assistidos existiam doentes, mulheres grávidas e algumas crianças e, de uma maneira concomitante, diversificaram o trabalho em vários caminhos. Assim, iniciou o trabalho médico-farmacêutico com gestantes e grupos de mães, triagens para entrega de alimentos e o atendimento às crianças das mães, cujas dificuldades poderiam ser minimizadas com o trabalho, desde que pudessem abrigar seus filhos na sua ausência. No decorrer destas ações surgiram novas situações e, uma delas, bastante marcante: crianças cujas mães tinham dificuldade de assumir seus filhos, nascendo então o serviço de internato, prática comum na época, junto ao Juizado de Menores, com o Serviço de Colocação Familiar. As crianças permaneciam internas nos moldes do antigo orfanato.

Depois de alguns anos, observada a ineficiência do internato, porque se encontravam ali crianças de diferentes níveis intelectuais, diferentes problemas psicológicos e a entidade tornando-se uma instituição restrita ao atendimento do abandono, fugindo da expectativa de oferecer aos pais condições para assumirem as responsabilidades do lar. Esta prática, muitas vezes, os levava ao comodismo. Em 1975 a entidade inicia um processo de reintegração familiar ou de lares substitutos, dando a IBLM, novamente, um cunho de semi-internato, com a preocupação de construir um atendimento bio-psicopedagógico e oferecer condições para que então os pais buscassem se manter financeiramente e então assumir a família com consciência.

Atualmente o Lar de Maria atende seus usuários em período integral nos Programas de Creche, Pré- Escola e Centro de Convivência, para crianças e adolescentes, na faixa etária de 0 a 14 anos, cujas famílias residem na periferia do município de Santo André, cujas famílias tenham renda per capta de até dois salários mínimos.

O Lar de Maria, ao deparar-se com a distância entre a criança, a educação, a família e a comunidade, passou-se a buscar outros meios, outras experiências, um maior conhecimento teórico, com o objetivo de formar seres bio-psico-socialmente capacitados para a vida, desenvolvendo sua autonomia em busca da cidadania.

A Instituição abriu em 2007 mais um programa que capacita os seus adolescentes egressos, entre 15 a 17 anos de idade, em Cursos Profissionalizantes e de Formação Continuada, garantindo a eles o direito de aprendizes para o primeiro emprego.

Área de atuação da Instituição – casa I e casa II (Bairros: Vila Scarpelli, Bom Pastor, Valparaíso, Jd. Bela Vista e Vila Floresta

Localização e Histórico do Bairro: A sede da entidade se encontra-se à Rua Carneiro Leão, 273, na Vila Scarpelli em Santo André desde 1966, quando concluiu o primeiro andar de seu prédio próprio, em terreno cedido pela Prefeitura Municipal.

Em 1966, a Vila Scarpelli, o Jardim Bom Pastor e a Vila Floresta, bairros circunvizinhos com bastante proximidade com a entidade, era considerado periférico, com constantes situações de calamidade, devido a enchentes e alagamentos, advindo do Ribeirão dos Meninos, situação que só foi minimizada por volta de 1994, quando da construção do Piscinão do Valparaíso. Embora não houvesse núcleos habitacionais em favelas naquela época existia no bairro grande quantidade de cortiços e alojamentos.

Nesta época, a entidade estava voltada ao atendimento em internato, prática comum onde junto ao “Juizado de Menores” atendíamos crianças cujas mães, por várias razões, inclusive financeiras não podiam ficar com seus filhos, portanto era indiferente ao local de moradia da criança estar em proximidade com a entidade, já que as visitas eram, no mínimo, semanais.

O bairro cresceu, ganhou status de classe média, tem característica residencial e enquanto ocorria esta mudança, a entidade também mudou seu Projeto para semi-internato, ampliou suas dependências em quatro andares e embora atenda a todo o município, já que seu foco é a família, ainda tem como concentração de demanda o Jd. Bom Pastor, a Vila Valparaíso e as favelas próximas (Padroeira, Lauro Gomes, Gamboa e Jd. Cristiane) além dos cortiços espalhados pela redondeza e os bairros Jd. Estela, Jd. Jamaica, Jd. Oriental, Las Vegas, Vl Guiomar, Vl Alice, Príncipe de Gales, Bela Vista, Vl. Aquilino e Bairro Campestre.

Ainda assim, como não temos critério geográfico porque estamos entre os poucos que atendem a uma larga faixa etária (0 a 14 anos), a entidade tem famílias advindas de toda a periferia do nosso município e para atendermos as demandas de cada bairro atendido, o setor de Serviço Social realiza projetos com as comunidades em loco e desta forma caracteriza nossas famílias em suas reais necessidades sociais, culturais, etc, bem como traça propostas que reafirmam o compromisso das mesmas com a instituição fazendo uma ponte entre ela e a criança no processo sócio-educativo.

A Instituição possui ainda, uma segunda unidade a qual chamamos de Lar de Maria casa II, desde o ano de 1997, situada na Av. São Bernardo, nº 117, no bairro Jd. Santa Cristina em Santo André, oferecendo a comunidade do entorno, atendimento em programa de Centro de Convivência a 135 Adolescentes entre 7 a 14 anos de idade.

AJUDA NA RECUPERAÇÃO DE DEPENDENTES QUÍMICOS

A Ativa tem consciência que determinadas drogas, já viraram questão de saúde pública. Alguns pensadores , tem até defendido teses de que , hoje em dia levantar essa bandeira da ajuda aos dependentes, de maneira indireta contribuiremos também com a questão de segurança publica, pois em busca da aquisição de muitas drogas, ou sobre a influência da mesma, é que tanta violência esta sendo gerada. Muitos lares estão sendo desfeitos ou totalmente destruídos, e visando também por este lado social, nossa empresa tem contribuído mensalmente com esta casa de recuperação.